quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Logística no Organograma das empresas

    Utilizada nas muitas Guerras, que acontceram na história do Mundo, a Logística foi implementada no Exército, com a finalidade de ser na retaguarda, um setor de estratégia. 

    Sua finalidade consistia em fazer o planejamento militar, que compunha o estudo do adversário ( pontos fortes e vulneráveis ), a definição das frentes de batalha, movimentação e deslocação das tropas e equipamentos, e programação das equipes de apoio (abastecimento técnico e suprimentos).

    O Exército sempre foi na história, sinônimo de disciplina e obediência hierárquica. Talvez tenha sido este o motivo, para o grande sucesso da Logística, que tem como característica principal, ser integradora. Era um setor departamental com autonomia plena de planejamento, diretamente ligado as decisões do comando geral. Fazia a consolidação das informações e do potencial dos setores. Baseado neles, utilizava todos os recursos disponíveis, com o objetivo de alcançar as metas do grupo.
    As empresas, que na história, sempre se basearam nos modelos organizacionais da Igreja e do Exército, para se estruturarem, procuraram adequar a Logística ao mundo dos negócios. Isto ocorreu pela necessidade de se ter um diferenciador, já que começávamos a viver o período da competitividade, onde era necessário uma solução integrada, que visasse um ganho global no processo e não em pontos isolados. 
    Muitas empresas não souberam, ou não conseguiram adequá-la e tirar todo proveito da nova situação organizacional, devido a falta de profissionais com experiência, por não ter profissionais com este perfil de visão genérica , ou por deixarem o departamento com uma autonomia limitada, onde as decisões principais e estratégicas sempre paravam na mesa de um "comandante"conservador, e preocupado com a reação dos gerentes das áreas envolvidas. 
    As que souberam, cresceram e serviram como propaganda de dissiminação da nomenclatura. 
    De uns tempos para cá, a logística foi tratada erroneamente pelas empresas, como se fosse moda. Por escutar falar, muitas começaram a criar ramificações de departamentos e chamar de Departamento de Logística. Hoje se vê muitas empresas, utilizando o nome de Logística para departamentos, onde o serviço nada tem a ver, e o pior, com gerentes reaproveitados de departamentos extintos, ou pelo fato de estarem sendo credenciados, simplesmente por terem tempo de casa.
     Apesar de ter havido uma evolução, em termos da difusão e maior compreensão sobre a abrangência da Logística, graves erros continuam ocorrendo. Faltam profissionais especialistas, e nos organogramas das empresas, Logística fica sem a autonomia, que deveria ter, em baixo de departamentos conservadores e tolhedores.
     É muito importante seu posicionamento no organograma, em contato direto com o comando da empresa, e fazendo a integração de todas as interfaces do sistema.
     Em plena fase de globalização, onde o mercado exige que se produza mais, com menores custos, maior qualidade e melhor atendimento, a utilização da Logística nas empresas é uma questão de sobrevivência.
     Para as empresas, que utilizaram no passado, a Logística de forma errada e criaram um paradigma, da eficácia do conceito, sugiro uma reavaliação de postura, procurando enfocar o assunto com uma visão geral do processo, esquecendo da administração atual, que utiliza-se muitas vezes de boas lideranças, porém isoladas, que nada contribuem para o objetivo principal da organização.

0 comentários: